terça-feira, 30 de maio de 2017

Estrutura de um artigo excelente

O filósofo Micah T. Lewin fez uma impressionante tabela para auxiliar na avaliação da qualidade de um artigo. A tabela de Lewin é voltada para artigos na área da Filosofia, porém acredito que a estrutura seja aplicável para praticamente qualquer área. Enquanto na tabela original Lewin descreve todos os pontos que caracterizam artigos nas qualidades “inaceitável”, “marginal”, “precisa de melhorias”, “bom” e “excelente”, por questão de espaço traduzi e reescrevi aqui apenas as características dos artigos de qualidade “excelente”.

Acredito que seja uma ferramenta muito útil para qualquer um que queira escrever um bom TCC, artigo ou dissertação e que gostaria de ter mais confiança quanto aos critérios que deve cumprir para que seu trabalho seja visto como excelente. Espero que gostem.
Argumentação [45 pontos]

1. Afirmação da Tese [5 pontos]: Articula uma afirmação clara e precisa da tese que é facilmente identificada, localizada na introdução.

2. Argumentos: Estrutura Inferencial e Consistência [15 pontos]: Clara e precisamente enuncia as premissas, inferências e a estrutura inferencial do argumento utilizada para estabelecer (sub-conclusões em direção da) conclusão geral ou tese do artigo. A consistência interna do argumento do autor é prontamente apreciável.

3. Força dos Argumentos [15 pontos]: Apresenta com clareza um argumento altamente plausível que é válido (se dedutivo) ou forte (se indutivo). Premissas são ou não-controversas ou fortemente apoiadas com sub-argumentos. O autor articula com precisão e explicitamente o grau com o qual sua estratégia argumentativa (isto é, suas premissas e inferências) dão suporte para suas conclusões e inclui qualificações apropriadas conforme necessário.

4. Consideração de Alternativas ou Contra-Argumentos [10 pontos]: Articula com precisão e considera e avalia com caridade diversas posições alternativas e contra-argumentos viáveis (tanto óbvios quanto novos) vis-à-vis sua própria posição e argumentos; responde a essas alternativas de forma hábil e engenhosa.
Entendimento, Explicação, Análise e Avaliação [35 pontos]

5. Engenhosidade, criatividade e ineditismo ou originalidade da tese, argumentação e exposição [5 pontos]: Apresenta uma tese ou argumento notavelmente criativa ou nova para a sua posição e demonstra engenhosidade filosófica genuína. A explicação e análise em (6) e (7) é altamente criativa.

6. Explicação e análise do tópico, questão ou problema e as ideias relacionadas em jogo [15 pontos]: Articula e explicação o tópico ou questão em foco, quebrando o problema em partes constitutivas e suas inter-relações, tudo com grande clareza, engenhosidade e exatidão. Analisa as ideias e conceitos envolvidos nisso com clareza, precisão e persuasão.

7. Exposição, Análise e Avaliação dos argumentos e posições dos outros [15 pontos]: Caracteriza, explica, analisa e avalia com clareza, caridade e precisão as posições de outros autores, quebrando-as e as reconstruindo seus argumentos com consideração, precisão e um olho atento para as nuances. OBS: A avaliação dos argumentos dos outros deve primar pela consistência interna, força relativa do argumento e a comparação da plausibilidade do argumento deles versus outras posições.
Síntese [5 pontos]

8. Integração da explicação de fundo (6 e 7) com a sua própria posição (1-5) em um entendimento mais amplo [5 pontos]: Clara, precisa e persuasivamente traça um entendimento do tópico e ideias em questão (6) e as posições do outros nela (7), com um argumento forte em favor da sua própria posição (1-5) em um arcabouço integrado e abrangente que captura com engenhosidade o assunto em questão como um todo. A conexão desenhada entre os elementos são precisas e construtivas.
Organização [15 pontos]

9. Roteiro [2,5 pontos]: Inclui, com sua tese, um plano claro e preciso — um roteiro — para como o autor estabelecerá sua tese e adere a esse roteiro em um ensaio que o segue por todo o artigo.

10. Marcas de Guia [2,5 pontos]: Inclui um número razoável de “Marcas de Guia” úteis para a transição ou frases organizacionais que guiam o artigo, indicando onde o leitor está dentro da estrutura de argumentos do autor e do plano deste.

11. Estrutura [5 pontos]: Constrói um ensaio muito bem organizado, com uma estrutura perspectivas e fácil de ser seguida que permite à linha de pensamento do autor ser desenvolvida com clareza e potência. A introdução e conclusão do artigo vão direto ao ponto e sem excessos e floreios. O corpo do ensaio tem um fluxo bem encadeado com um excelente ordenamento de parágrafos e seções. Tópicos, ideias, exposição, explicação, argumento e análise estão presentes em ordem iluminadora e em progressão natural.

12. Legibilidade e Entendimento [5 pontos]: Escreve uma prosa que é ao mesmo tempo manifestamente fácil de ser seguida, legível, precisa, clara e edificante. O leitor pode facilmente entender o argumento, explicação, análise e exposição do autor sem nenhum esforço interpretativo extraordinário. A escrita do autor é concisa sem sacrificar a clareza ou obscurecer detalhes importantes. As palavras são muito bem escolhidas e conceitos e terminologias técnicas são definidos, explicados e empregados de forma lúcida e perspicaz.

Gostou da estrutura que Lewin propõe? Pois bem, além de recomendar dar uma olhada na tabela completa feita pelo autor (em inglês), caso queira se aprofundar recomendo também o conteúdo de altíssima qualidade do Harvard College Writing Center.


Tradução: Thomas V. Conti

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AddToAny